Visitantes terão de apresentar teste negativo para Covid-19 para entrar em Ilhabela

Medida visa impedir o aumento no número de casos na cidade devido ao feriado superprolongado decretado em São Paulo   

Por Aristides Barros / Foto: Divulgação

O prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, baixou decreto nesta terça-feira (23) visando conter a disseminação do Coronavírus no arquipélago durante os 10 dias de feriado decretado em São Paulo, já se adiantando barrar o aumento explosivo do números de casos na cidade com “descida” de turistas.

Pelo decreto, a prefeitura vai exigir que visitantes apresentem exames com resultado negativo para a Covid-19, com esses exames sendo o RT-PCR (teste do cotonete) e os mesmo sendo realizado no máximo 48 horas antes do embarque nas balsas.

A medida passa a vigorar a partir das 8:00 horas do dia 26 de março e se estende pelo prazo de 10 dias. “O único objetivo é de resguardar o interesse da coletividade na prevenção do contágio e no combate da propagação da Covid-19”, diz, em nota, a prefeitura ilhabelense.

É importante destacar que a medida não se aplica aos moradores da cidade, às pessoas vacinadas com a 2ª dose contra a Covid-19, aos prestadores de serviços essenciais e aos trabalhadores de estabelecimentos comerciais essenciais.

Ainda segundo o decreto, é considerado morador de Ilhabela a pessoa que possuir documentos em seu nome que comprovem endereço (conta de água, de luz, de telefone, de internet, de cartão bancário e congêneres), comprovante de matrícula dos filhos na rede pública ou privada do município, contrato de locação, carnê de IPTU ou título de eleitor.

Trabalhadores e prestadores de serviços essenciais poderão entrar na cidade desde que apresentem Carteira de Trabalho e da Previdência Social, crachá da empresa, holerite, contrato de prestação de serviço e congêneres.

Veículos que vão abastecer os estabelecimentos comerciais, bem como aqueles vinculados a  serviços essenciais estarão em fluxo de operação normal, tais como: veículos de imprensa, de tratamento de esgoto e abastecimento e tratamento de água; de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, gás e combustíveis; funerários; de telecomunicações; de processamento de dados ligados a serviços essenciais; de segurança privada (carro-forte e de escolta); de coleta e transbordo de lixo, resíduos e rejeitos (entrada vazia para a posterior saída cheia).

Toninho Colucci definiu que meios de hospedagem, tais como hostels, pousadas e hotéis, poderão ter ocupação máxima de 50% de sua capacidade, observando as normas e protocolos sanitários.

Também, conforme o decreto, a fiscalização do ingresso a Ilhabela será realizada no bolsão de embarque das balsas e contará com apoio da PM, em especial os policiais em atividade delegada.

Deixe uma resposta