Travessia Santos-Guarujá sofrerá aumento de tarifa com a nova concessão

Segundo a Artesp, o leilão garantirá, em três décadas, um investimento de R$ 272 milhões

Por Will Siqueira / Foto: Imprensa Governo do Estado de SP

Um assunto de extrema importância para os moradores de Guarujá e Santos é o transporte fluvial entre as duas cidades, visto que a balsa que executa a travessia entre ambas é utilizada diariamente por milhares de pessoas e veículos. E o fato é que, a partir de 2022, haverá uma nova empresa particular responsável pela travessia.

E já há informação de que, com a futura concessão, o valor da tarifa pode ficar 50% mais caro – veículos pequenos que atualmente pagam R$ 12,30, pagariam R$ 18,41. Desse modo, o LEIA entrou em contato com a Artesp (Agência Reguladora do Transporte do Estado de São Paulo), a qual é responsável por fiscalizar a travessia, para que ela explicasse todo o processo.

“A concessão das travessia litorâneas vai garantir R$ 272 milhões em investimentos em todo o sistema. O capital privado vai modernizar e ampliar o serviço, trazendo comodidade, segurança e desenvolvimento para as cidades atendidas pelas travessias”, justificou.

O edital para a concorrência internacional do SLT (Sistema de Travessias Litorâneas) foi publicado no Diário Oficial do Estado no último dia 30. Esses R$ 272 milhões serão aplicados ao longo dos 30 anos de contrato estabelecidos na nova concessão – o leilão deve acontecer em 30 de março de 2022, na sede da B3, em São Paulo.

Sobre as tarifas, a SLT esclarece que a concessão garante todas as gratuidades estabelecidas por lei e irá trazer ainda uma redução de aproximadamente 30% do valor das passagens para ciclistas e pedestres já no primeiro ano de contrato. Ou seja, a vencedora do leilão terá que garantir essa tarifa social.

“Para os veículos, o edital prevê uma justiça tarifária, ou seja, com a redução imediata para pedestres e ciclistas. Importante lembrar que as travessias litorâneas estão há quatro anos sem reajuste, mesmo após os investimentos realizados nesta gestão”, concluiu a Artesp.

Deixe uma resposta