Profissionais da UPA de Santos recebem treinamento de urgência e emergência

Sob a gestão da InSaúde, a unidade está recebendo investimentos para a capacitação dos funcionários

Da Redação / Foto: Divulgação

A UPA Central de Santos, sob a gestão de uma nova organização social desde fevereiro, a InSaúde, está investindo na capacitação dos profissionais que fazem o primeiro acolhimento dos pacientes de urgência e emergência. Mais de 30 enfermeiros, técnicos de enfermagem e outros profissionais da saúde concluíram, na última terça-feira (29), o curso de Suporte Básico de Vida (SBV) oferecido pela empresa Global Med.

O treinamento foi contratado em razão da importância de se preparar o profissional para reconhecer o quanto antes um quadro mais grave ou mesmo uma parada cardiorrespiratória.

“É de suma importância que o enfermeiro e o técnico de enfermagem tenham esse conhecimento para saber identificar um agravo ou uma parada e também que eles dominem as manobras necessárias para que o paciente tenha a reanimação e o suporte adequados”, explicou Lílian Morais, enfermeira do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente, do Núcleo de Educação Permanente e do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar da UPA Central.

A profissional disse que a InSaúde, nova responsável pela gestão do equipamento público, identificou a necessidade de investir em educação continuada e treinamento para os funcionários, especialmente pela característica da unidade.

O curso de SBV, ministrado pelo Global Med, empresa especializada em gestão e terceirização de mão de obra em saúde, aborda o reconhecimento precoce da parada cardiorrespiratória, bem como seu adequado atendimento seguindo diretrizes internacionais atualizadas, obstrução de vias aéreas em adulto, lactente e criança, uso de dispositivos não invasivos para oferta de oxigênio e conceitos de equipes de alto desempenho.

“A capacitação tem jornada de oito horas, sendo quatro de estudo dirigido e quatro de treinamento prático, e pode ser feita tanto por médico, quanto enfermeiro, técnico ou auxiliar de enfermagem. A proposta é uniformizar a conduta de todos os profissionais nos procedimentos mais básicos, sempre seguindo diretrizes atualizadas para que possam ter melhores desfechos nos atendimentos em situação de parada cardiorrespiratória”, detalhou o diretor da Code Blue Treinamentos, André Luiz Marques.

A enfermeira Glaucia Augusto Santos conta que o curso foi importante para que os profissionais abandonem alguns vícios de atendimento que podem surgir ao longo da carreira. “Aqui nós aprendemos o passo a passo de como fazer a abordagem desse paciente e tenho certeza que vamos desfrutar muito desse conhecimento”, avaliou.

Deixe uma resposta