Preço da cesta básica sobe em nove cidades

Pesquisa foi feita pelo Dieese em sete capitais

Da Redação / Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O custo médio da cesta básica de alimentos aumentou em nove cidades brasileiras, de acordo com a pesquisa de novembro do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). São Paulo tem a segunda cesta básica mais cara do país, cujo valor é R$ 692,27 – a primeira é de Florianópolis, que custa R$ 710,53.

Na sequência estão: Porto Alegre (R$ 685,32), Vitória (R$ 668,17) e Rio de Janeiro (R$ 665,60). Apesar da alta em novembro, as capitais do Norte e Nordeste obtiveram valores menores: Aracaju (R$ 473,26), Salvador (R$ 505,94) e João Pessoa (R$ 508,91).

Em relação a novembro de 2020, a cesta básica subiu em todas as capitais, com maiores percentuais anotados em Curitiba (16,75%), Florianópolis (15,16%), Natal (14,41%), Recife (13,34%) e Belém (13,18%). No acumulado de janeiro a novembro deste ano, todas as capitais também registraram alta.

Salário mínimo

O Dieese estima que o salário mínimo necessário para manter uma família no país deveria ser R$ 5.969,17, o que corresponde a 5,42 vezes o piso nacional vigente: R$ 1.100,00. Em outubro, o valor deveria ter sido de R$ 5.886,50.

Deixe uma resposta