Obra de Deus lapidada pelos homens, Caraguá comemora 164 anos de emancipação política

Município já sobreviveu a tempos difíceis e continua sobrevivendo, agora à Covid-19

Por Giovanna Figueiredo / Foto: Bruno Arib

Caraguatatuba é uma das mais antigas e belas cidades brasileiras. O município carrega no nome uma das maiores belezas da biodiversidade brasileira e a gentileza de seu povo está registrada em seu hino. Caraguá começou a ser povoada nos primeiros anos do século XVI e, nesta terça-feira (20), comemora 164 anos de emancipação político-administrativa.

Com flores de um colorido forte e de uma beleza única, as Caraguatás deram origem ao nome Caraguatatuba, junção do nome da planta com a palavra “tuba”, que significa muito. A força e a beleza da bromélia que nomeia o município também estão presentes em toda a sua paisagem.

O município começou a ser povoado por meio das Sesmarias, que eram terrenos abandonados pertencentes a Portugal e entregues para ocupação. A primeira que se conhece ocupou a bacia do Rio Juqueriquerê, em 1609, e foi doada pelo capitão-mor Gaspar Conqueiro aos antigos moradores de Santos, Miguel Gonçalves Borba e Domingos Jorge, como prêmio por serviços prestados à Capitania de São Vicente.

Uma epidemia de varíola, em 1693, dizimou parte da população da vila e o restante deixou o local, mas a fé se manteve de pé. Na Vila que desertou permaneceu apenas a capelinha de invocação a Santo Antônio. Décadas depois, a Vila de Caraguatatuba voltou a ser povoada.

A história do município se confunde a do país e é cheia de nuances, mas mostra o retrato de um povo e de um lugar que sobreviveu às mazelas do tempo, lutou, cresceu e se desenvolveu. O que começou como uma pequena vila, hoje tem mais de 123 mil habitantes e continua em constante crescimento.

O jornal LEIA deseja feliz aniversário a “obra de Deus pelo homem polida”.

Deixe uma resposta