Médico estuprava parturientes durante a realização do parto

Violência acontecia no Hospital da Mulher, em São João Meriti, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro    

Da Redação – Foto: Divulgação

O médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra foi preso em flagrante por estupro contra uma paciente durante o parto neste domingo (10), no Hospital da Mulher, São João Meriti, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. De acordo com os investigadores, o médico abusou da mulher enquanto ela estava dopada para a realização de uma cesariana.

A equipe de enfermagem estranhou a quantidade de sedativos que o médico dava para as pacientes que passariam por cesarianas e, então, os profissionais decidiram posicionar um celular para gravar o procedimento. Nisso, foi possível registrar o ato e denunciar o anestesista.

Nas imagens entregues à polícia aparece o médico cometendo o abuso com a vítima desacordada. Enquanto comete o estupro, Giovanni tenta se movimentar pouco para que os colegas na sala não percebam.

A prisão em flagrante aconteceu no próprio hospital. Segundo a delegada Bárbara Lomba Bueno, que investiga o caso, o papel da equipe de enfermagem foi fundamental para que a prisão fosse efetuada.

“Cidadãos e profissionais de Saúde exemplares, que notaram em outras cirurgias o movimento do corpo do médico e, para que houvesse uma prova, decidiram posicionar um telefone celular de forma que não se visse e verificar se realmente era aquilo que estava acontecendo, o que eles estavam pensando”, falou a delegada.

Ela antecipou que serão investigados procedimentos anteriores para averiguar se existem outras vítimas.

O presidente do Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro) se manifestou classificando as cenas como absurdas e informou que abriu um processo para expulsar Giovanni Quintella do conselho.

A Fundação Saúde do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria de Estado de Saúde disseram que repudiam veementemente a conduta do médico e que estão à disposição da polícia.

Será aberta uma sindicância interna para tomar as medidas administrativas. A equipe do Hospital da Mulher comunicou que está prestando apoio à vítima e à sua família.

Deixe uma resposta