Inflação no país atinge maior alta em 26 anos para o mês de abril

Acumulado em 12 meses chega 12,13% de aumento nos preços ao consumidor; maior taxa desde outubro de 2003

Por André Jesus / Foto: Freepik

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou aumento de 1,06% no mês de abril de 2022, conforme divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira (11/05). Considerado como inflação oficial do país, o IPCA atingiu a maior variação para um mês de abril desde de o ano de 1996, quando registrou 1,26% naquele período.

Em 2022, já são 4,29% de aumento nos preços no país. Uma média de mais de um por cento por mês. No acumulado de 12 meses, o encarecimento dos produtos atinge 12,13%. É a maior inflação para o período de um ano desde outubro de 2003, quando a taxa ficou em 13,98%

Entre os grupos de preços pesquisados pelo IBGE, apenas Habitação registrou queda na média do mês, ficando em -1,14%. O maior aumento aconteceu justamente no item essencial para a sobrevivência das famílias: alimentos e bebidas. Segundo o instituto, comer e beber no Brasil ficou 2,06% mais caro em abril.

Veja a inflação de abril para cada um dos grupos pesquisados

  • Alimentação e bebidas: 2,06%
  • Transportes: 1,91%
  • Saúde e cuidados pessoais: 1,77%
  • Artigos de residência: 1,53%
  • Vestuário: 1,26%
  • Despesas pessoais: 0,48%
  • Comunicação: 0,08%
  • Educação: 0,06%
  • Habitação: -1,14%

“Efeitos menores”

O presidente Jair Bolsonaro (PL), minimizou os efeitos dos aumentos dos preços no país durante evento realizado na cidade de Maringá, no estado do Paraná. Em seu discurso, Bolsonaro afirmou que o mundo está passando por momentos difíceis e que a situação não é diferente no Brasil.

“Apesar da inflação estar alta no Brasil, bem como a questão dos combustíveis, na nossa terra os efeitos são menores”, disse.

Jair Bolsonaro, presidente da República

Deixe uma resposta