fbpx

GCM de São Sebastião transporta cidadãos e marca o triste fim da Ecobus no município

Empresa de transportes ainda se mantém na cidade por conta de liminar judicial, mas prefeito promete retirá-la de circulação

Por Lailson Nascimento / Foto: Divulgação

A GCM de São Sebastião precisou transportar na noite de segunda-feira (17) cinco munícipes que aguardavam ônibus no Terminal Rodoviário Central. Isso ocorreu porque a Ecobus não havia disponibilizado veículos para a região da Costa Sul, onde residem as pessoas que esperaram o ônibus das 18 horas até às 23 horas. Esse é apenas um dos fatos que marcam o triste fim da empresa de transporte público no município.

Segundo a Prefeitura de São Sebastião, o apoio da força de segurança conduziu dois moradores de Maresias, dois de Boiçucanga e um de Boraceia até as suas casas. Diante da situação, o prefeito Felipe Augusto (PSDB) usou as suas redes sociais para, conforme ele próprio definiu, “dar uma satisfação ao município em relação à Ecobus.” Na transmissão, que ocorreu terça-feira (18), ele também lembrou que a empresa está sofrendo um processo movido pela Volkswagen.

O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto – Foto: Bruno Arib

“Três ônibus foram apreendidos pela Justiça na região Sul do nosso município. Outros três ônibus que fazem parte do mesmo processo de falta de pagamentos da Ecobus para com o banco Volkswagen foram encontrados em processo de desmonte, ou seja, os ônibus foram desmanchados na garagem da Ecobus. Outros dois veículos que também fazem parte desse processo foram encontrados através do sistema muralha, que é a nossa vigilância eletrônica, saindo do município”, revelou.

No entendimento de Felipe Augusto, a situação só terá solução quando houver uma nova licitação.

“A situação é extremamente crítica. Chegamos em um momento de máxima gravidade em relação ao contrato que não é executado, a empresa está literalmente pendurada no Poder Público Municipal por conta de uma liminar, de uma decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, e a prefeitura, através dos procuradores, tem realizado o maior esforço possível no sentido de derrubar essa liminar. Nós, inclusive, já estamos também agravando junto ao STJ, para que a gente possa, de uma vez por todas, abrir imediatamente essa licitação em caráter emergencial.”

Ainda segundo o prefeito, a administração municipal vai manter a transparência e responsabilidade de informar toda a cidade a respeito do que está acontecendo. Ele também chegou a pedir desculpas pelo fato de a prefeitura permanecer impedida, por uma decisão em caráter liminar, de realizar a licitação emergencial e retirar a empresa da cidade.

“Há muito tempo a gente já sabe que a Ecobus é uma empresa em estado falimentar, uma empresa quebrada, que através de sucessivas decisões em caráter liminar mantém a sua permanência na cidade de São Sebastião. Nós vamos continuar com os nossos esforços judiciais para que tudo isso possa ser resolvido o quanto antes. Nós vamos continuar com a batalha judicial para tirar a Ecobus de uma vez por todas do município de São Sebastião”, prometeu.  

OUTRO LADO – O jornal LEIA não localizou representantes da empresa que pudessem comentar as críticas feitas pelo prefeito.

Deixe uma resposta