Dados da SSP revelam: insegurança ainda é problema grave em Bertioga

Se for a única opção de Carnaval na região, a cidade deve receber milhares de turistas, inclusive de São Paulo

Por Will Siqueira / Foto: Divulgação

Como mostra a reportagem publicada na página 4 desta edição, Bertioga é a única cidade da região disposta a organizar a festa de Carnaval em 2022. E como as prefeituras das cidades vizinhas estão receosas de realizar um evento desse porte, devido ao risco da “quarta onda” da Covid, é muito provável que os foliões dessas cidades vão para Bertioga pular o Carnaval.

Mas, de acordo com dados da SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), a falta de segurança ainda é um problema grave que acontece em Bertioga. A reportagem fez um levantamento com base nas informações da SSP que envolvem dez quesitos: lesão corporal dolosa (brigas, espancamentos etc, propositais); homicídio doloso (assassinatos com intenção de matar); latrocínio (roubo seguido de morte); estupro; estupro de vulnerável (crianças e adolescentes até 14 anos); roubo; roubo de veículo; furto e furto de veículo.

A estatísticas mostram que, embora alguns pontos tenham melhorado de 2019 a 2021, os números negativos ainda estão altos para uma cidade que pode ser a grande concentração de foliões do Litoral Norte, no próximo carnaval.

O levantamento feito pela SSP corresponde aos meses de janeiro até outubro deste ano. Foram 215 lesões corporais dolosas, seis homicídios dolosos, nove estupros e 12 estupros de vulnerável. No mesmo período aconteceram 264 roubos e 27 veículos foram roubados; os furtos também aconteceram em grande quantidade, 774, e 49 veículos foram furtados. Pelo menos, não houve nenhum latrocínio.  

APOIO – Nos períodos de alta temporada, a PM (Polícia Militar) disponibiliza maior efetivo justamente para garantir a segurança dos moradores e turistas. Entre 2020 e 2021, por exemplo, a “Operação Verão” disponibilizou 195 policiais entre 22 de dezembro e 17 de fevereiro.

Deixe uma resposta