fbpx

Conheça Gabriel Melone, o atleta Cubatense que está nas Paralimpíadas de Tóquio

Gabriel estreia na natação no dia 30 de agosto;  Vanessa Cristina, que já treinou em Cubatão, também competirá

Da Redação / Foto: Acervo pessoal 

Em outubro de 2014, um adolescente tentava andar por cima de um trem em movimento na cidade de Cubatão, ele usava as escadas de um dos vagões quando caiu nos trilhos e foi atropelado pela composição, na ocasião ele precisou amputar uma perna e um braço. Agora, o ano é 2021, esse mesmo adolescente, Gabriel Melone de Oliveira, defende o Brasil na natação nas Paralimpíadas de Tóquio, no Japão.

Gabriel é um exemplo de superação, assim como muitos outros atletas que participam da competição. Após o acidente, que aconteceu quando ele tinha 15 anos, o atleta ficou mais de um mês internado e demorou 11 dias para acordar, quando saiu do hospital teve que se adaptar, se reinventar, no mesmo ano ele começou a nadar.

A natação veio inicialmente por recomendação médica, no entanto, ele começou a se desenvolver muito rápido, mostrando o seu potencial e se descobrindo atleta.

Se os Jogos Paralímpicos fossem realizados no ano passado, Gabriel poderia ter ficado de fora, por conta de um acidente doméstico. Mas agora, em 2021, ele está no auge dos seus treinamentos e é uma promessa de bons resultados.

Estreia

Gabriel estreia em dia 30 de agosto, na natação, e também compete nos dias 1 e 3 de setembro. Atleta do Praia Clube (MG), em 2019 participou dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, e obteve bons resultados, mas foi apenas neste ano que conseguiu a classificação para os 50 metros borboleta, que é sua especialidade, após muito treino mesmo na pandemia.

Vanessa Cristina

A paulistana Vanessa Cristina de Souza, 31 anos, que já treinou em Cubatão, ela começa a competir no atletismo em 27 de setembro. Atualmente no time Fast Wheels (SP), é atual campeã da São Silvestre para cadeirantes e detentora do recorde brasileiro da maratona de Sevilha (ESP), sua modalidade é a classe T54, destinada a pessoas que competem em cadeira de rodas. Também participou das Paralimpíadas do Rio, em 2016. É hoje uma das maiores atletas em sua categoria. Já venceu competições nos Estados Unidos, Espanha, Portugal e recebeu prêmio de Melhor Atleta das Américas, do Comitê Paralímpico das Américas.

Deixe uma resposta