fbpx

Comunidade católica sebastianense se une em oração pela cidade e pelo país

Por Aristides Barros / Foto: Bruno Arib

A Igreja de São Sebastião, igual a outros centros religiosos do país, se contagiou de forma positiva e está espalhando palavras de esperança de que a pandemia cesse logo. O gesto acaba se tornando mais uma “arma” de combate ao coronavírus mediante as orações de fieis que vão ao templo sagrado para reforçar a fé, e buscar na comunhão com Deus paz e conforto espiritual no momento complicado que eles enfrentam com seus parentes, amigos e conhecidos.

No dia em que o jornal LEIA esteve na cidade – quinta-feira (11) –, a reportagem foi à igreja e acompanhou a missa celebrada pelo Padre Alessandro. A pedido do jornal, ele enviou mensagem aos sebastianenses e aos leitores do periódico.

“A todos aqueles que vivem e amam São Sebastião, expresso que a cidade que traz o nome do seu próprio padroeiro já traz o sinal da benção e da proteção de Deus. Estamos vivendo tempos muito difíceis, mas é um tempo de muito aprendizado. Mais uma vez a humanidade, o povo brasileiro, são chamados a compreender, a se solidarizar e fazer a sua parte.

Acima de tudo, o nosso coração precisa ser revestido pelo dom da fé, para que verdadeiramente esperemos dias melhores, para que a gente vença essa pandemia. Possamos ser sensíveis e solidários com as famílias que sofrem com a perda de seus entes queridos. Não podemos banalizar a morte e nem nos tornarmos insensíveis, porque como disse o Papa Francisco, o vírus da indiferença também faz um grande mau.

Quero me unir em oração, saber que nessa igreja que deu origem a toda nossa cidade, desde a sua fundação, ela representa o encontro com Deus e o fortalecimento espiritual para os tempos que nós estamos vivendo. São Sebastião, que é o santo protetor contra a peste, a fome e a guerra, continue protegendo o povo e trazendo esperança ao coração de todas as pessoas, para aprendermos a lição que essa pandemia nos traz. E termos esperança, porque a última palavra quem dá é Deus. Nós iremos vencer esse mal. Mas, a gente precisa aprender a fazer a nossa parte.”

Deixe uma resposta