Colucci denuncia Estado à polícia por ‘passar gato por lebre’ à Ilhabela

Governo disse ter enviado doses de vacinas contra a Covid-19 em quantidade maior às que a cidade realmente recebeu

Por Aristides Barros

O prefeito de Ilhabela, Antônio Colucci (PL), o Toninho Colucci, registrou boletim de ocorrência contra o Governo do Estado de São Paulo em função da cidade ter recebido frascos de vacina com menor quantidade do que foi informado pelo Programa de Imunização do Estado.

De acordo com o programa estatal, cada frasco contém 10 doses, porém, chegaram em Ilhabela apenas oito frascos com doses abaixo do divulgado. Notificações sobre o ocorrido foram encaminhadas ao Centro de Vigilância Sanitária do Estado.

A comunicação do fato à polícia aconteceu no sentido de a prefeitura se preservar e se resguardar de possíveis acusações de desvio de medicação. A ressalva é que a própria Secretaria de Saúde de Ilhabela admite que já recebe doses insuficientes de vacinas para aplicar no público alvo da campanha estadual.

Segundo nota da Secretaria, a cidade recebeu 4642 doses de vacinas contra a Covid-19 e aplicou 4140, sendo 2941 de primeira dose e 1219 de segunda dose. As doses restantes (482) são destinadas, na maioria, para segunda vacinação de idosos.

Discrepância

Quando o Estado anunciou a liberação da vacina para idosos de 68 anos, Ilhabela recebeu 180 doses. Ocorre que para aplicar em 100% do público alvo seriam necessárias 235 doses.

O prefeito disse que não entende o critério do governo estadual, e acresenta: “Enquanto têm cidades recebendo doses de acordo com o público e atingiram 20% de aplicação, as cidades do Litoral Norte recebem doses insuficientes”, criticou. “Hoje nosso déficit é de pelo menos 1,5 mil doses. Além disso, os frascos estão chegando com menos de 10 doses”, afirmou. “Isso é grave e por isso estamos nos resguardando registrando boletim de ocorrência. Queremos transparência”, finalizou Colucci.

Deixe uma resposta