Casa de prostituição incomoda quem mora próximo à zona do sexo pago no Perequê-Mirim, em Caraguá

As reclamações são levadas a órgãos da prefeitura e da polícia e o problema não é solucionado

Por Aristides Barros / Foto: Reprodução Google Maps – Divulgação

Ninguém mais aguenta o intenso movimento de carros, o falatório interminável e os barulhos do “bate cama” que começa a partir das 19 horas e vara toda a madrugada. O ambiente festivo na “Casa Azul, 185, rua Joana Gonçalves dos Santos, próximo ao Motel Stillus, no Perequê-Mirim, deixa todos que moram nas imediações com os nervos à flor da pele por se tratar de um prostíbulo.

A vizinhança falou que já “deu parte” da casa de prostituição tanto à Prefeitura de Caraguatatuba como as polícias Civil e Militar. “A fiscalização da prefeitura vai até o local, mas diz que não “encontra” nada de errado. Vão durante o dia, se forem à noite verão o que acontece”, dizem, em coro, os moradores pedindo para não ter seus nomes divulgados. O medo decorrer porque uma das profissionais do sexo – que comanda a casa já avisou. “Eu não saio mão com ninguém, comigo é na navalha”.

Diante das ameaças, foi pedido que as polícias Civil e Militar exercessem o seu poder de manter a lei e a ordem. “A Polícia Civil disse que para fazer a queixa temos que registrar a ocorrência e nos identificar. Se dermos nossos nomes corremos perigo”, dizem citando o “fio da navalha” da prostituta. “A PM diz que o problema tem de ser resolvido pela prefeitura”, falam os anônimos.

Esperança de se livrar do “pecado que mora ao lado” é frustrada

Os moradores ficaram otimistas quando a Polícia Civil desencadeou recentemente a segunda fase da Operação Epithymia para fechar casas de prostituição na cidade. A operação policial foi iniciada em 2019 e retomada na manhã de quinta-feira (15) fechou uma “zona” e prendeu cinco pessoas. Epithymia – é uma palavra grega que significa luxúria. 

Nessa segunda etapa da operação foram expedidos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão cumpridos pela delegacia de São Sebastião, em parceria com as polícias civis de Caraguatatuba e Ilhabela. Para a infelicidade dos moradores do Perequê-Mirim a “Casa Azul” na ficou no alvo da operação.   

Na primeira etapa da Epithymia, em novembro de 2019, a Polícia Civil fechou uma casa de prostituição localizada no Porto Novo, também em Caraguá. Na ocasião, uma pessoa foi presa em flagrante por tráfico de drogas. O local tinha como fachada a boate Big House, mas a principal atividade era a prostituição. Uma mulher e sua filha foram presas por exploração sexual.

VEJA MAIS:

Deixe uma resposta