fbpx

Bertioga aniversaria mergulhada em problemas e denúncias de propina

Prefeito e presidente do Legislativo tiveram seus nomes envolvidos em caso de extorsão

Por Aristides Barros / Fotos: Divulgação

As duas mais altas patentes políticas de Bertioga – prefeito e presidente da Câmara Municipal – são arrastadas para um escândalo justamente quando a cidade completa 30 anos de emancipação e centenas de famílias choram pela morte de seus parentes levados pela Covid-19. A pandemia e o escândalo deixam o 19 de Maio amargo e o município sem clima para festas e comemorações.    

O prefeito de Bertioga, Caio Matheus, e o vereador e presidente da Câmara de Bertioga, Antônio Carlos Ticianelli, o Carlos da Funerária – ambos do PSDB – tiveram os nomes envolvidos em um caso de extorsão contra o empresário Donizete Aparecido da Silva, 64 anos, levado a efeito por José Santa Maria Dias, vulgo Perninha, acusado de pedir a soma de R$ 50 mil ao comerciante. 

A extorsão seria no sentido de que o empreendimento do empresário não fosse removido do local onde já funciona há mais de 30 anos, após a construção do portal de entrada de Bertioga, cujas obras já estão em andamento. O caso foi registrado na Delegacia de Policia da cidade.   

O dinheiro da propina seria para os dois chefes: o do executivo e do Legislativo bertioguense. Perninha teria um relacionamento estreito com ambos os políticos, mas sem um vínculo direto com a Prefeitura de Bertioga. Em várias ocasiões, Perninha foi visto lado a lado de Caio Matheus e Carlos da Funerária à época em que o vereador exerceu o cargo de Secretário Municipal de Serviços Urbanos de Bertioga. 

A propina, que de R$ 50 mil reais “baixou” para R$ 10 mil, é que teria levado ambos os políticos a não terem gostado da “desinflação” da corrupção, conforme entendeu o empresário. “Na reunião vinha ele (vereador) e o Perninha, o prefeito nunca veio.” 

“Eu senti que eles não gostaram de eu ter diminuído a quantia. Ficaram indignados de eu ter dado R$ 10 mil, acharam mixaria, uma merreca. Não ficaram contentes”, disse o empresário, destacando que a propina foi “dada” em 2019 e veio só agora a público para o povo ver “o que essas pessoas são capazes de fazer.”

ASSESSOR SUJO – Silva se referiu a Perninha como a pessoa que faz o serviço pelo subterrâneo e que após a denúncia vir à tona teme por sua integridade física porque Perninha o teria ameaçado. “Ele disse que eu acabei com a vida dele e que isso não ia ficar assim.” Ao que o empresário rebate: “Estou certo de que não fiz nada errado. O pessoal que mandou vir falar comigo que acabou com a vida dele, se for para fazer alguma maldade, que faça com quem o mandou fazer o serviço sujo. Espero apenas justiça, que ele receba o que merece”, disse o empresário, se referindo à punição pela lei.  

Local que motivou a polêmica é um dos “pontos turísticos” de Bertioga 

O pastel do Trevo é notabilizado por levar de forma benéfica o nome da cidade para fora do município. A sua dimensão em nível nacional foi salientada quando Donizete teve uma participação no programa da jornalista e apresentadora Ana Maria Braga.

A fama extrapolou limites e, em Bertioga, o Pastel do Trevo passou a ser parada quase que obrigatória de personalidades e artistas reconhecidos nacionalmente e internacionalmente.

O empresário Donizete Aparecido da Silva, do Pastel do Trevo – Foto: Aristides Barros

“Lamento tudo o que está acontecendo, que todo o positivismo que conseguimos ofertar à cidade esteja ganhando repercussão negativa. Mas, eu tenho certeza que não agi errado com ninguém”, falou. 

Ele fez questão de aniquilar uma Fake News jogada nas redes sociais dando conta de que é proprietário de uma fazendo em Minas Gerais.

“Nunca tive fazenda, tenho um sítio em Minas. Estão espalhando coisas que colocam eu e minha família em risco de sequestro. O pouco que tenho consegui trabalhando.” 

Sobre sua possível saída da área do impasse, o empresário destaca: “A obra do portal de entrada da cidade está totalmente fora do caminho do trailer. Eles querem a área livre para fazer uma negociação dela com uma empresa pública privada. A minha ocupação aqui é bem lícita e acordada com o Poder Público, nunca atrapalhei o progresso de Bertioga”, disse.

Após a denúncia explodir em Bertioga, ‘Funerária’ foi parar no hospital da cidade
O vereador Carlos Ticianelli, o Carlos da Funerária – Foto: Divulgação

Dias depois de a denúncia cair em Bertioga como uma bomba e repercutir em toda a cidade, o vereador e presidente da Câmara, Antônio Carlos Ticianelli (PSDB), o Carlos da Funerária, que já estava com Covid-19, foi hospitalizado no Hospital de Bertioga, para onde foi levado sentindo “desconforto”, informou sua assessoria nas redes sociais. 

A assessoria do presidente da Câmara informa que o parlamentar está internado no Hospital de Bertioga, por conta das complicações da Covid-19. Ticianelli foi diagnosticado com a doença no dia 9 de maio e, desde então, fazia o tratamento em casa. No entanto, no domingo (16), ele sentiu desconforto e procurou o médico. Ao chegar no hospital foi comprovado que ele estava com os pulmões comprometidos e ele ficou internado na enfermaria. Está sendo avaliada uma possível transferência para Santos, informou a nota. Destaca-se que Bertioga já registra mais de 120 óbitos provocados pela Covid-19.  

  

DEFESA – Sobre a denúncia, Carlos da Funerária disse em nota: “Com relação ao vídeo que está circulando nas redes sociais, o vereador Carlos Ticianelli informa que se trata de um ataque político e midiático e não pactua com esse tipo de atitude. A conduta do vereador sempre foi prezar pela ética e transparência.  O empresário se fez valer da amizade e ligação do prefeito Caio Matheus e do vereador para tentar dar credibilidade a essas inverdades.     

Cabe ressaltar que Ticianelli adotará as medidas necessárias judiciais, pois seu nome foi envolvido de forma caluniosa. Estamos cientes de que existe uma ação judicial movida contra o comerciante Donizete de desocupação da área, que dará lugar ao portal de entrada da cidade. 

Salientamos ainda que o cidadão “Perninha”, apesar de ser popular na cidade, não é assessor do vereador Carlos Ticianelli.”

Prefeito bertioguense sustenta tese de ataque midiático no caso
O prefeito Caio Matheus (centro) junto a membros de sua gestão – Foto: Bruno Arib

O tom da nota do presidente da Câmara Municipal (acima) se iguala ao do prefeito Caio Matheus (PSDB) avaliando que o empresário partiu numa contraofensiva. Segue abaixo a posição do chefe do Executivo sobre o caso, que diminuiu o brilho dos 30 anos de aniversário de emancipação política e administrativa da cidade completados no dia 19 de maio.

“Com relação ao vídeo que está circulando e versão apresentada ao Ministério Público pelo ambulante Donizete Aparecido da Silva, do Pastel do Trevo, a Administração Municipal esclarece que se trata de ataque político midiático e repudia veementemente qualquer tipo de prática de corrupção. 

Desde o início de sua gestão, todos os atos do Chefe do Executivo foram sempre pautados pela probidade administrativa. Cabe ressaltar desde já que o nome do prefeito Caio Matheus foi envolvido de forma caluniosa e que ele adotará as medidas necessárias para recomposição da sua honra. 

O prefeito Caio Matheus determinou abertura imediata de sindicância para apuração dos fatos relacionados a suposto envolvimento de servidor, bem como elaboração de boletim de ocorrência e propositura de ação criminal por denunciação caluniosa. 

Quanto às alegações, a Administração Municipal esclarece que o ambulante em questão foi notificado na última quarta-feira (12) para a desocupação de área pública municipal em que está instalado seu trailer.

No documento, Donizete foi notificado a deixar a área e apresentar um novo local de interesse para instalação do trailer, no prazo de 30 dias. Vale ressaltar que mesmo ciente de que se trata de área pública o comerciante já havia movido processo de usucapião contra a Prefeitura em 2007, que foi julgado improcedente pelo judiciário local, fato que beira a má-fé. 

A desocupação da referida área pública municipal é necessária, pois no local está sendo construído o Portal da Entrada da Cidade e novo receptivo turístico, cujo projeto, anunciado em 2019, jamais contemplou a permanência do trailer. 

O local também será objeto de projeto de parceria público-privada para recuperação econômica pós-pandemia. Sabedor que os projetos jamais contemplaram a permanência do seu trailer no local e na tentativa de supostamente garantir sua manutenção em área pública, o comerciante pratica, em tese, nas imagens o crime de corrupção ativa, ao entregar dinheiro ao cidadão conhecido pelo vulgo “Perninha”, situação essa que será apurada pelas autoridades competentes. 

É importante esclarecer que o cidadão “Perninha”, que se apresenta como assessor do vereador citado, não exerce e jamais ocupou qualquer cargo na prefeitura durante esta gestão. O prefeito Caio Matheus assevera que sua meta na condução do Executivo Municipal é sempre fazer prevalecer o interesse coletivo sob qualquer interesse individual”.

Deixe uma resposta