fbpx

Baleia Jubarte é encontrada morta na Praia de Juquehy, em São Sebastião

O mamífero foi enterrado na faixa de areia, a Prefeitura de São Sebastião cedeu escavadeira para auxiliar na movimentação  

Da Redação / Foto: PMSS | Divulgação

Uma Baleia Jubarte encalhou na Praia de Juquehy, Costa Sul de São Sebastião. O animal foi encontrado morto na segunda-feira (31). Na manhã de ontem (1), a prefeitura da cidade, por meio da Secretaria de Serviços Públicos, cedeu uma escavadeira para auxiliar a equipe do PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos) do Instituto Argonauta, na movimentação e no enterro da baleia.

O animal foi enterrado na faixa de areia. O PMP-BS do Instituto Argonauta foi acionado para atender a ocorrência e a equipe técnica verificou tratar-se de uma Baleia Jubarte Megaptera novaeangliae, já em avançado estado de decomposição, encalhada na zona entre marés.

Segundo o Instituto Argonauta foi possível, em observação externa, realizar a biometria e constatar ser uma fêmea juvenil, com um comprimento total de oito metros. Ainda de acordo com o instituto, a equipe coletou amostras de pele, gordura e musculatura para futuros exames.

Instituto Argonauta

Fundado em 1998 pela Diretoria do Aquário de Ubatuba e reconhecido em 2007 como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público). O Instituto tem como objetivo a conservação do Meio Ambiente, em especial a conservação dos ecossistemas costeiros e marinhos. Para isso, apoia e desenvolve projetos de pesquisa, resgate e reabilitação da fauna marinha, educação ambiental e resíduos sólidos no ambiente marinho, dentre outras atividades.

O Instituto Argonauta, também é uma das instituições executoras do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Instituto Argonauta monitora o Trecho 10, compreendido entre São Sebastião e Ubatuba. Para informações consulte: https://institutoargonauta.org/.

Deixe uma resposta