Atletas de Guarujá se preparam para Jogos Paraolímpicos de Tóquio

Esportistas vão levar o nome da Cidade em uma das maiores competições do mundo

Da Redação / Foto: Divulgação

De olho nos Jogos Paralímpicos de 2021 em Tóquio, sete guarujaenses se preparam para participar da competição. Convocados pela Seleção Brasileira de Bocha, cinco esportistas estão em fase de treinamento. Além disso, outros dois atletas, nas modalidades natação e atletismo, seguem aguardando uma vaga para o Torneio. As Paraolimpíadas de Tóquio têm início em 28 de agosto e seguem até 4 de setembro.

Na bocha, a equipe convocada é composta pela atleta Natali Faria, de 31 anos, que compete individualmente na modalidade BC2, em que os participantes jogam com a bola nas mãos. Além dela, há Vagner Lima, técnico da categoria BC3, Bianca Bargas do estafe técnico, e Marcelo Oliveira, responsável pela análise de desempenho, bem como o coordenador da seleção, Moisés Fabrício.

Eles participaram da primeira fase de treinamento que ocorreu no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo, no mês passado. Os esportistas são membros da APBS (Associação Paradesportiva da Baixada Santista).

Segundo o coordenador Moisés, a expectativa é grande, já que há 11 meses todas estavam em treinamento no CT se preparando para a pré-viagem ao Japão, para o evento teste. Porém, um dia antes do embarque o evento foi suspenso.

“Na aclimatização, é possível sentir o clima do país, se adaptar à alimentação, começar um processo de imersão e, consequentemente, ter uma concentração maior. Duas semanas antes da abertura ficaremos na cidade sede, para nos prepararmos para os jogos”, comenta.

Praticada por atletas com elevado grau de paralisia cerebral ou deficiências severas, a competição consiste em lançar as bolas coloridas o mais perto possível de uma branca (jack ou bolim). Os atletas ficam sentados em cadeiras de rodas e limitados a um espaço demarcado para fazer os arremessos. É permitido usar as mãos, os pés e instrumentos de auxílio, e contar com ajudantes (calheiros), no caso dos atletas com maior comprometimento dos membros.

Para o secretário de Esporte e Lazer de Guarujá, José Roberto Galvão, os atletas são motivo de orgulho para o Munícipio. “Com muita dedicação esses esportistas representam a nossa Cidade, e nos trazem medalhas. Agradeço à APBS pelo excelente trabalho executado. Na associação, o grupo é altamente profissional, com professores e comissão técnica dedicada e empenhada a formar e treinar atletas com níveis internacionais de competitividade. Desejamos aos atletas e treinadores um ótimo evento, que certamente será marcante na vida de cada um deles”, ressalta.

Recordistas da Cidade aguardam pela vaga

Outros dois grandes atletas de Guarujá seguem aguardando convocação para os Jogos Paralímpicos deste ano. Um deles é o nadador Gabriel Cristiano, de 26 anos, recordista das Américas na categoria S8. Ele, que pleitea uma vaga em Tóquio, participou em 2016 do revezamento da Tocha Olímpica, que passou por Guarujá no mês de julho daquele ano.

Além de Gabriel, o recordista nacional dos 1.500 metros em atletismo, Carlos Pierre, mantém a rotina de treinos e também espera sua convocação. Pierre, 31 anos, outro atleta a participar do revezamento da tocha olímpica em 2016, busca sua marca para representar o país na Paraolimpíada.

Associação Paradesportiva da Baixada Santista

Fundada em Guarujá, em 2019 conseguiu um marco em sua história com a participação de oito integrantes nos Jogos Parapanamericano de Lima, no Peru. Os atletas de bocha, futebol de sete para paralisados cerebrais e natação, juntos, trouxeram três medalhas de ouro e duas de prata. A associação conta, ainda, com modalidades como atletismo, tênis de mesa, futebol em cadeiras de rodas e vôlei sentado.

Deixe uma resposta