‘A expressão de ordem para os próximos 15 dias é: fique em casa’, pede o prefeito

Por e-mail, Felipe Augusto fala sobre como São Sebastião está lidando com a Covid

Por Lailson Nascimento / Foto: Bruno Arib

No aniversário de 385 anos de emancipação político-administrativa de São Sebastião, o prefeito reconhece que a doença também causou efeitos devastadores no município. Entretanto, Felipe Augusto (PSDB) entende que a cidade tem o que comemorar, pois a prefeitura manteve investimentos ao longo de todo o período.

Confira os principais trechos da entrevista:

LEIA: São Sebastião completa 385 anos. A cidade tem o que comemorar, apesar da pandemia?

Felipe Augusto: Sem dúvida, temos muitos avanços para comemorar. Foram quatro anos de muito trabalho, com a recuperação da autoestima dos sebastianenses e grandes investimentos na Educação, que nos colocou na condição do melhor Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) do Litoral Norte; na Segurança, que transformou a cidade na mais segura do Litoral Paulista; no Turismo, nosso carro- chefe econômico, que foi profissionalizado; além da atenção especial a toda infraestrutura do município, com a execução de mais de 300 obras de pequeno, médio e grande porte. Foram muitas realizações, sempre pensando na população sebastianense.

LEIA: Diante da crise sanitária, o que a administração municipal precisou atrasar em relação à execução do Plano de Governo?

Felipe: Na verdade, apesar das dificuldades da crise econômica provocada pela pandemia, com queda na arrecadação e redução do orçamento em mais de R$ 100 milhões, conseguimos realizar muito, de Costa Norte à Costa Sul e em várias áreas. Entre os grandes investimentos, muitos esperados há décadas, podemos citar a Educação, a Saúde e a Infraestrutura. Na Educação, foram sete novas creches; na Saúde foram três novas unidades de saúde, além de 100% reformadas, fizemos também o Hospital da Costa Sul; e na infraestrutura foram mais de 20 pontes, sendo a maior a de Barra do Una, com 64 metros de extensão. Investimentos que abrangeram todo o município, obras importantes para cada bairro e para cada região, em uma cidade que tem mais de 100 quilômetros de extensão.

LEIA: A cidade ainda figura entre as primeiras do Estado que têm os melhores índices de isolamento social. De que forma isso auxilia o município a agir contra a doença?

Felipe: Os bons resultados nos faz perceber que estamos no caminho certo, que as ações desenvolvidas com a orientação dos profissionais da Saúde surtiram o efeito positivo nesse desafio diário e inédito. A cidade tem números positivos. Temos taxa de recuperação de 93%, salvamos vidas, e somos a cidade do Brasil que mais testou a população, 33%, mais de 30 mil testes aplicados. Tudo sendo feito com muita responsabilidade para auxiliar no fortalecimento de uma luta que exige muita dedicação dos profissionais da linha de frente, que merecem toda a nossa consideração pelo esforço e sacrifício constante.

LEIA: A prefeitura pretende entrar com alguma ação judicial no sentido de retornar a cidade à zona laranja?

Felipe: No momento, conforme debatido no Comitê de Enfrentamento de nossa cidade, acataremos as orientações da fase Emergencial anunciada pelo Governo do Estado de São Paulo para todos os 645 municípios paulistas. Entendemos que é importante para frear o aumento de novos casos, internações e mortes pelo coronavírus e conter a sobrecarga em hospitais de todo o Estado. Claro que a prioridade é sempre salvar vidas, mas também estamos preocupados com a economia e a situação dos comerciantes, responsáveis por significativo índice de emprego no município. Não podemos esquecer a questão econômica. A cidade teve uma baixíssima arrecadação, perdeu R$ 100 milhões do orçamento. Não podemos contribuir com essa derrocada financeira dos comerciantes e empresários. Enquanto houver a segurança em saúde que nos permita continuar trabalhando em favor da vida, mas com o comércio trabalhando com as restrições devidas, assim faremos. Porém, nos últimos dias nossa estrutura de saúde atingiu sua capacidade máxima e nos fez ligar o sinal de alerta.

LEIA: Para além da questão de saúde, que é prioridade mundial, o que a gestão Felipe Augusto tem conseguido realizar em termos de melhorias no município?

Felipe: É hora de dar continuidade às novas realizações, fazer com que as obras de pavimentações continuem acontecendo; os investimentos no turismo e melhorando a qualidade de vida da população. Sabemos que avançar mais, realizar tudo o que for possível para manter empregos. Por isso, recentemente foram iniciadas obras de pavimentação de 14 ruas nos bairros São Francisco, Cigarras, Portal da Olaria e Pontal da Cruz. O valor do investimento é R$ 2,5 milhões. Também continuam em ritmo acelerado as obras de recuperação e reforma do Ginásio de Esportes José de Souza Gringo, o “Gringão”, o principal ginásio poliesportivo da cidade, com um investimento de R$ 4 milhões. Temos também a reforma e adequação de prédio próprio para instalação da nova sede administrativa da Secretaria de Educação, outra obra prevista para esse início de 2021. Prosseguem as obras de reforma e manutenção das unidades escolares da rede municipal.

LEIA: O que a população pode esperar da gestão ainda este ano?

Felipe: Pode esperar o que temos feito: muito trabalho e dedicação. Tenha certeza de que, apesar da pandemia, pretendemos conquistar novos avanços, em toda cidade, com os investimentos importantes em todas as áreas. Mas neste momento específico precisamos ter cuidado redobrado, a nova cepa do coronavírus já é uma realidade, nossas unidades de pronto atendimento Covid-19 estão à beira de um colapso, faltam profissionais de saúde no mercado para atender esses novos casos da doença. A expressão de ordem para os próximos 15 dias é ‘fique em casa’. Precisamos focar neste momento em salvar a vida de cada sebastianense que precisar de nosso sistema de saúde.

Deixe uma resposta